domingo, 14 de janeiro de 2007

Roma - Itália












2007.01.14 - Roma - Itália
Ahh, Roma!! Senti-me minúsculo caminhando pelas ruas de uma das cidades mais importantes da história da humanidade, berço de uma civilização, capital de um império, centro da religião mais influente de todos os tempos, da arte, do direito, da cultura, expansionista, conquistadora, temida... é muita coisa. Caminhando pelas ruas você acaba experimentando um pouco de cada uma destas histórias, além de serem lugares lindos, fica difícil listar todos aqui, mas vou tentar. Primeiro que, apesar de não estar "largado", fiquei realmente um pouco sem graça ao ver o quanto a "média" das pessoas nas ruas está elegante e bem vestida, a aparência e a moda contam bastante por ali e, no final, todos parecem bonitos. Pelas ruas estão boa parte das atrações, comecei indo conferir a famosa Fontana de Trevi onde, acreditem, não joguei uma moeda para fazer um pedido!! Putz, que furo, terei de voltar para fazer direito...rs.

O fato é que o pessoal gosta de ficar por ali tomando sorvete e papeando, vale como um ponto de encontro (que beleza heim...) Ali perto está a Scalinata di Spagna, que dizem que na primavera fica linda quando enfeitada de flores pelas escadas, culminando com uma bela fonte na parte inferior, o que achei bastante ali foram ambulantes vendendo todos os tipos de lembrancinhas possíveis (acho que nas outras estações do ano eles substituem as flores). Perto dali está o Pantheom, que impressiona por sua conservação durante séculos, está intacto e mantém sua estrutura e ambiente interno iluminado somente pela única entrada de luz natural, o oríficio em seu teto (dica: tocar suas paredes te fazem se sentir muito mais jovem...rs). Caminhando mais desta vez se alcança mais o centro onde estão concentradas algumas das principais atrações de Roma (sob a ótica da popularidade mundial), são o Fórum Romano, o que ainda sobrou das estruturas da antiga Roma mas com algumas delas incrivelmente bem preservadas (como os arcos), e o Coliseo.

O colossal Coliseo resitiu bem ao tempo no sentido de ainda estar de pé, de fato seu interior já não está tão inteiro assim, mas continua fascinado, só de imaginar tudo o que lemos nos livros rolando por ali já dá um arrepio e fica impossível não voltar no tempo, muito marcante. Andei como um maluco pelas ruas de Roma, e me dei o direito de ficar perdido pelos bairros, cruzando as pontes, indo para lá e para cá, parando para disfrutar a farta comida italiana, sentir minhas raízes italianas mais de perto. Recomendo passaer e comer pelas boêmias ruas do bairro de Trastevere, muito bom de verdade (em dias de jogos da Lazio ou Roma os bares e restaurante ficam cheios e a rivalidade fala muito alto... vale inclusive cuidado devido ao fanatismo, nós brasileiros tiramos isso de letra!).

Aliás, os brasileiros são muito bem recebidos na Itália, temos laços bastantes fortes com os italianos, sendo é claro detentores de uma das maiores colônias de italianos fora da Itália. Visitar Roma é uma experiência única, fica-se muito à vontade lá e, lembre-se, se estiverem gritando com você, não é porque não gostaram da sua cara, eles são assim mesmo, expansivos e passionais até o limite!! Conhecem alguém assim perto de vocês?

sábado, 13 de janeiro de 2007

Pisa - Itália












2007.01.13 - Pisa - Itália
Para que está visitando a Itália é quase que obrigatório uma visita a Pisa, primeiramente porque é muito fácil e acessível chegar na cidade através de trens e segundo, e mais importante, porque a cidade é linda e com uma das atrações mais conhecidas do mundo, a famosa Torre de Pisa. Mas não é só isso, na verdade o local onde se encontra a torre é que de fato é agradabilíssimo, nele estão as três maiores atrações da cidade. O Duomo com início da construção em 1064, incrível como está conservado e imponente, de pura arquitetura românica, chama muito a atenção por seus detalhes e fachadas, cheia de colunas e arcos ela impressiona bastante.

À sua frente o Batistério trazendo o belo cenário medieval do local, iniciada sua construção no século XII demorou quase 100 anos para terminar, espetacular. Para fechar com chave de ouro, a Torre de Pisa, ela foi construída em solo arenítico e impressiona com sua postura inclinada, um clássico mundial. Vale muito a pena visitá-la e, claro, subir até o topo.

O engraçada que vale relatar é que ao subir suas escadarias os efeitos de sua inclinação são incríveis, já que você está subindo uma escada e o esforço vai variando de tempos em tempos, quando a inclinação é positiva ou negativa, isso sem contar quando a força gravitacional te empurra contra a parede ou para o meio... muito divertido e diferente! Recentemente obras de engenharia reduziram e tem mantido a inclinação da torre em 4,12m e desde seu topo a vista de toda a cidade é inesquecível!! Vale demais!!!

(Comida Sugerida: Spaghetti a Carbonara)
(Bebida Sugerida: Vinho Tinto)

Cidade do Vaticano - Vaticano













2007.01.13 - Cidade do Vaticano - Vaticano

Fascinante!! É o que se pode dizer do menor "país" do mundo, o Vaticano representa a força do catolicismo na história da humanidade. Tudo que se vê, escuta e respira gira ao redor da religião cristã que permanece forte atravessando os séculos. Igualmente impressionante é o legado cultura e artístico que está concentrado no Vaticano. A praça de São Pedro é uma entrada triunfal à linda Basílicade onde o Papa disfere suas palavras aos católicos por todo o mundo. Ao redor da praça estão esculturas de diversos santos, novos e antigos, que compõem esta história.


Nos dias em que visitei o Vaticano não houve nenhum pronunciamento especial do Papa, assim que não estava muito lotado de gente ao redor da praça, coisa muito comum nos dias de domingo ou eventos especiais. Entrando pela Basílica já se mergulha na mais pura amostra da arte renascentista, de fato foi ali que finalmente entendi o porquê de entitularem Michelângelo de gênio, o que ele produziu ali foi absolutamente espetacular. Michelângelo a serviço da igreja (e com muita grana por trás também) se superou em quase todos os aspectos, desde de a arquitetura (projetou a cúpula da Basílica), esculturas (como grande exemplo a impressionante "Pietá" no interior da ingreja) e, claro, as pinturas e afrescos expostos no Museo do Vaticano.


As pinturas "O juízo final" e todos os temas nas paredes laterais e teto da Capela Sistina são um presente para o mundo, de tirar o fôlego o talento de Michelangelo, não dá pra esquecer. Obviamente não é só de Michelângelo que é recheado o museu, outros diversos artistas renascentistas espalharam seu talento por ali, vale destacar também as salas de Raphael, incríveis. De forma semelhante, não se consegue esquecer dos infinitos degraus para se alcançar o topo da Basílica e avistar toda Roma de um ponto privilegiado, fica-se ali por muito tempo e não dá vontade de parar de admirar.



Para os mais fervorosos, também é um lugar muito especial para mergulhar profundamente em reflexões religiosas (se bem que acredito que podemos fazer isso em qualquer lugar), mais que inspira, inspira. Imperdível!!
 





quinta-feira, 11 de janeiro de 2007

Florença - Itália













2007.01.11 - Florença - Itália
Definitivamente o mais belo e marcante em Florença foi a forma forte e latente com a qual a maravilhosa arte dos gênios italianos está presente em cada canto da cidade. Tudo ali conspira para a arte, todas elas; música, arquitetura, pinturas, esculturas, etc... um ícone do Renascimento. Somente o fato de trafegar por ruas e praças onde as obras de grandes artistas era exposta ao ar livre já traz uma sensação fortíssima do quanto a cidade representou e ainda é referência no mundo das artes.






Minha chegada em Florença foi de trem, vindo direto de Veneza, uma viagem relativamente curta e bastante agradável, não pretendia ficar muito tempo na cidade, afinal a maior parte dos dias que me restavam estavam alocados para Roma, então fiz uma pequena bagagem de mão com roupas para 2 dias e deixei minha mala no locker na própria estação de trens, foi uma das melhores coisas que podia ter feito, pois me deu muita liberdade para me mover pela cidade. De cara, como não tinha hotel reservado, fui buscar um albergue disponível, desta vez não dei tanta sorte e fiquei em um bem afastado, mas que por sua vez possuia uma galera bem legal, alguns brasileiros, russos e italianos, que facilitaram a estadia.


Com estadia garantida segui o passeio, a primeira visita foi no Duomo de Santa Maria del Fiore perto do centro de Florença, o complexo da Piazza del Duomo é composto pelo Domo, um Batistério e um belíssimo Campanário. O Batistério é uma das contruções mais antigas da cidade, aproximadamente do século IX, tem seus portões exteriores todos trabalhados, entre eles os portões da parte leste chamados de Portões do Paraíso, feitos por Ghiberti, dentro dele muitos florentinos famosos foram batisado, como por exemplo Dante. O Domo, contruído por Brunelleschi sem andaimes, impressiona muito, tanto pelo seu tamanho como por sua beleza e riqueza de detalhes externa, além disso as pinturas do Juízo Final em seu interior são incríveis e merecem alguns bom minutos de observação, dali se pode também ter uma visão completa do Piso de Mármore trabalhado no interior do Duomo. Imperdível mesmo é subir ao seu topo e contemplar a beleza de Florença a partir de uma vista impecável da cidade no topo do Domo. Imperdível, além de exigir um bom preparo físico para subir todos os infinitos degraus até atingir o topo.

Saindo do Duomo, algumas esquinas mais se chega na Piazza della Signoria, uma agradável praça que abraça além de belas obras ao ar livre, entre elas uma linda fonte com a estátua de Netuno, o belo Palazzo Vecchio e a antológica galeria de arte Uffizi. O palácio ainda abriga a prefeitura da cidade e mantém seu  aspecto medieval, com interessantes obras de artes espalhadas por seu interior, fica difícil dizer sobre as obras pois o conteúdo renascentista é tão forte nesta cidade que tudo é muito rico. Assim mesmo, a galeria Uffizi se sobressai, com uma coleção espetacular de diversos artistas renascentistas e algumas das obras mais clássicas do mundo, caminhar por seus corredores e salas é muito agradável pois você está vendo a nata da produção de verdadeiros gênios da arte. Vale destacar as obras "O Nascimento de Vênus" de Botticelli, "A Sagrada Família" de Michelângelo e "Vênus de Urbino" de Ticiano. Espetaculares!

Ali ao lado da galeria está o charmoso rio Arno, com sua série de belas pontes. A mais famosa, a Ponte Vecchio, tem uma arquitetura bem típica com 3 arcos em seu centro, é datada do século XIV e fica cheia de vendedores ambulantes, além de ter um sem número de joalheirias. Para completar a viagem, não poderia partir sem visitar a clássica Galleria dell'Accademia principalmente, é claro, para ver bem de perto a obra prima de Michelangelo, Davi. Já havia escutado muitas estórias sobre esta escultura, assim como vistoe documentários na TV, mas garanto que é a escultura mais impressionante que já vi, realmente é perfeita, todos os detalhes de Davi parecem realmente dar vida à obra, detalhes como as veias nos braços e posição dos braços e pernas justificam a famosa frase de Michelangelo ao terminá-la: Parla!! Inesquecível a imersão cultural que traz um passeio em Florença, além de ser muito agradável caminhar por suas belas ruas e sentir no ar o peso histórico que elas possuem.



quarta-feira, 10 de janeiro de 2007

Veneza - Itália













2007.01.10 - Veneza - Itália
Ahh, Veneza. Uma cidade de tirar o fôlego, muito diferente de todas as cidades que vi. Canais no lugar de ruas, prédios todos enfileirados com a água batendo na porta, uma bruma enigmática por toda a cidade, dominando as estreitas ruas e trazendo um clima incrível. De fato, creio que fazer esta viagem em casal é muito romântico, não foi o caso, desta vez... mas quem sabe mais pra frente. Uma dica inicial que vale muito é pegar um hotel na ilha, e não no continente, isso de cara já vai te deixar mais próximo das principais atrações de Veneza, no coração da cidade e, de tabela, economizará muitos reais devido às várias travessias do Canal de San Marco ou do Canal Grande (5 euros a cada trajeto de ida/volta).

Apesar disso, não deixe de fazer a travessia, pois navegar pelo canal cortando a cidade é muito legal, além disso o principal acesso é realmente por trens, e a estação fica no lado do continente. Veneza tem uma história incrível, foi uma cidade estratégica em meados do século XII por sua posição privilegiada, que lhe dava acesso marítimo ao Mar Adriático e um curto caminho para as Índias e, consecutivamente, às maravilhosas e caras especiarias que vinham dali. Desta forma, tornou-se a nação (era independente) mais rica da Europa naquele tempo. Esse explendor trouxe a riqueza cultural e arquitetônica da cidade, que permanece viva até hoje. Muitos dizem a Veneza adormeceu neste explendor e parou no tempo, na verdade a cidade já não nem de perto rica como naquela época, mas continua linda demais.

Impossível caminhar nas calçadas à beira do Canal de San Marco e não se encantar, por ali se acessa a famosíssima Piazza San Marco, um paraíso das pombas (existem centenas delas pela praça, não saia alimentando senão te cobrem todo), com a imponente Basílica de São Marco lado a lado com o Palácio dos Doges, demais. A Basílica é impressionante, com sua fachada absolutamente trabalhada, com belos mosaicos sobre a vida de Marcos, existem os quatro cavalos de bronze na parte superior de sua frente e diversos arcos por sua entrada. No seu interior vários tesouros incríveis, geralmente de ouro puro e todos trabalhados, o mais conhecido (e precioso) é o Pala d'Oro com seus 250 painéis de Ouro recheados com pedras preciosas, além disso os vestígios mortais de Marcos estão ali sob o altar.

Ao lado, o Palácio dos Doges também é magnífico, fundada no século IX foi moradia do governante de Veneza e apresenta uma série de salas, câmaras, corredores e escadarias, muito legal e tudo sempre decorado com lindas obras de arte (pinturas e esculturas) por todos os lados. O que mais gostei do palácio, morbidamente, foram as masmorras, a prisão e a Ponte dos Suspiros, um corredor suspenso que ligava o palácio à prisão passando sobre um canal, ali os presos passavam para serem condenados, olhavam na janela e suspiravam, às vezes pela última vez. Chega a arrepiar!! O interior do palácio é mesmo lindo, com pinturas de grandes artistas da época que vão das paredes até o tetos das salas.

Voltando a passear pela cidade, vira e mexe você encontra uma igreja onde haverá uma apresentação de um concerto clássico, isso acontece muito em várias cidades européias e sempre que fui foi fenomenal. Recomendo!!

A comida por lá é ótima (como em toda a Itália), cheia de opções de massas e vinhos deliciosos, tem muita qualidade e opção por lá e quanto ao preço... desencana e manda ver! Recomendo bastante "se perder" por Veneza, ficar vagando pelas ruas sem rumo por um tempo, bisbilhotando as lojinhas, parando para um café à beira de uma canal e sentindo o clima de "parar no tempo" da cidade, isso não se esquece. Veneza também tem o seu tradicional Carnaval, um dos mais conhecidos do mundo (ao lado do nosso, é claro), mas o de lá é muito caracterizado por máscaras e fantasias, assim que uma boa lembrança (adquirida sem dúvida) é uma clássica máscara do carnaval veneziano.

Para completar, as conhecidas gôndolas de Veneza estão por todas as partes, às vezes você vê um gondoleiro a cantar enquanto conduz sua gôndola pelos canais venezianos, os passeios entretanto são bem caros e ficam hoje praticamente sendo realizados pelos turistas, ao invés de ser um transporte comum. Lembro que o preço para um passeio era de 60 euros por pessoa, desta forma, leve dinheiro e se estiver acompanhado, leve o triplo!! Se estiver fazendo a viagem de Lua de Mel... trate de trabalhar pra caramba!!! Veneza é demais!!!

(Música Sugerida: Nessun Dorma - Turandot)
(Filme Sugerido: Indiana Jones e a Última Cruzada)
(Comida Sugerida: Penne ao molho branco + Vinho Tinto)

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Amsterdam - Holanda












2007.01.09 - Amsterdam - Holanda
Bom... tenho muitas, muitas, muitas memórias sobre Amsterdam, mas elas somente vêm em flashes... acho que fica real se digo assim:

...canais lindos...
...albergue excelente...
...ruas muito, muito planas...
...ahh, coffe shops...
... ... ...
...red street...
...Casa de Anne Frank...
...ruas muito, muito planas...
...ahh, coffe shops...
... ... ...
...Pub Crawls...
...prédios bem pequenos e juntos...
...ruas muito, muito planas...
...ahhh, coffe shops...
... ... ...


...povo lindo e educado...
...bicicletas em todo lado...
...terra da Heineken...
... ... ...
...laranja é a cor da realeza...
...nação orgulhosa por sua tradição...
...ruas planas? onde estão?...
...ahhhhh, coffe shops!!!!
... ... ...
...Van Gogh era único...
...não conheci o Rijksmuseum...
...tri vice-campeões mundiais...
...jovens e idosos juntos nos coffes...
...ruas íngrimes estas, não?...
...ahhh, coffe shops...
... ... ...



(Música Sugerida 1: Yellow Submarine - Beatles)
(Música Sugerida 2: Born to Be my Baby - Bon Jovi)

domingo, 7 de janeiro de 2007

Bruges - Bélgica












2007.01.07 - Bruges - Bélgica
Bruges é a cidade medieval mais bem conservada da Europa! Carrega esta fama e de modo muito merecido, os edíficios de tijolinhos à vista, as ruas estreitas, canais cortando a cidade, tudo traz um clima muito característico e realmente remete aos tempos de meados do século XIII. O legal é sentir o clima da cidade passeando a pé ou de bicicleta pelas ruelas, é interessante ver que os lugares tem um ar super antigo mas abriga lojinhas bastante atuais, bons restaurantes, pubs e, é claro, chocolaterias... Uma beleza!!



Além das ruas e do ar exterior, as atrações são magníficas, belas igrejas, basílicas e torres enchem os olhos. Tínhamos pouco tempo para visitar tudo, tinha que caber em um dia só, assim que fomos direto à Igreja de Nossa Senhora, uma belíssima igreja repleta de obras de artistas renomados, entre elas uma versão de Madonna de Michelângelo. A igreja não tinha nem de perto a suntuosidade das grandes catedrais francesas e espanholas, mas mostrava uma arquitetura bastante elegante. Andando pelas ruas se pode fazer os trajetos em minutos ou horas, pois sempre há algum lugar para visitar ou uma lojinha para comprar algo.
  
Fomos até a Praça do Mercado, point tradicional da cidade e que naquela oportunidade tinha montada uma pista de gelo em seu centro. Vimos um tiozão tentar arriscar no patins e se espatifar inteiro no gelo, na boa pensei que o cara tinha se quebrado inteiro, mas levantou, acho... Dali se pode ver a famosa Belfort, uma torre octogonal que é uma das caracterísitcas da cidade. Continuando pelas ruazinhas fomos ver a prefeitura da cidade "Town Hall", que era realmente belíssima com suas fachadas super detalhadas e bem trabalhadas. Depois de andar tanto valeu a pena dar uma relaxada ao lado do canal do rio Dijver, não era o caso, mas acho que o passeio fica mais bacana ainda em casais.

  
Para fechar com chave de ouro, fomos conferir a Basílica do Sangue Sagrado, cuja principal e polêmica atração é um recipiente de vidro com um pedaço de pano marcado pelo sangue de Cristo, de acordo com a sabedoria histórica local. Muito interessante e não deixa de ter um clima sagrado. Enfim, Bruges é linda e muito agradável, vale muito fechar o dia comendo até explodir em um dos belos restaurantes e/ou bebendo chocolate quente belga.

sábado, 6 de janeiro de 2007

Bruxelas - Bélgica












2007.01.06 - Bruxelas - Bélgica
Bélgica, impossível pensar neste país e não pensar em duas coisas... cerveja e chocolate, por sinal, muitos dos melhores do mundo sem dúvida alguma estão ali, é impressionante a capacidade dos belgas em produzir verdadeiras obras primas desta duas, digamos, mercadorias altamente apreciadas por grande parte da população mundial. Mas Bruxelas não é "só" (desculpem) isso, a capital da Bélgica é também a capital da Europa, como sede da União Européia e palco de grandes decisões deste poderoso bloco econômico atualmente.


A cidade é bastante bonita, recheada de arquitura gótica e arte flamenca, e possui diversos prédio iluminados que fazem um bonito efeito à noite. Logo que chegamos da França fomos visitar o Parc du Cinquantenaire, já estava de noite e apesar de não poder curtir bem o parque e o palácio estava fechado, mas foi bem legal ver o o arco triunfal repleto de colunas todo iluminado. Dali seguimos diretamente para a Grand Place, onde inciamos um trajeto mágico por lojas de chocolate e terminamos em um pub provando algumas das cervejas belgas, que beleza, Leffe, Stella Artoirs, Judas, Hoegaarden, etc e tal...

Estava um clima chuvoso mas não tirou o brilho dos prédios que estão na Grand Place, muito bonitos de verdade, um dos mais detacados é o Hôtel de Ville. Enfim, dali seguimos para ver o famoso símbolo da cidade, o Manneken Pis. Diz a lenda que que o filho de um duque foi pego urinando em uma árvore, bem no meio do campo de batalha, representando assim a coragem e confiança militar na época. Assim, dizem que nasceu a inspiração da estátua em bronze, que hoje é uma réplica pois a original foi roubada po um ex-presidiário (lá também acontece...). Muito bacana Bruxelas e acho que até eu engordaria depois de um mês vivendo ali. rs...